Ads Top

Sem o apoio das ruas, manifestação do MBL vira momento de bater panelas


Início da matéria
Sem o apoio das ruas, manifestação do MLB vira momento de bater panelas

Durante a última quarta-feira (10) o Movimento Brasil Livre (MBL) anunciou que iniciaria uma série de atos contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, tendo como objetivo o seu impeachment. Entretanto, o resultado do primeiro ato organizado pelos meninos da política parece não ter saído como eles gostariam.

Uma série de vídeos divulgados pelo MBL nas suas redes sociais mostra poucos integrantes do movimento incitando outras pessoas a se manifestarem contra o presidente. Aparentemente, pela falta de apoio ao ato, o protesto logo se converteu em um "bate-panela."

"Nossa manifestação hoje é na porta da sua casa. Estamos com carros de som pelas cidades do Brasil pra que o povo vá às janelas se manifestar sem desrespeitar isolamento social. Fique ligado que talvez passemos na frente da sua casa!", diz a legenda de uma das publicações.

Ao que tudo indica, sem ter o resultado esperado nas ruas, os integrantes do MBL resolveram divulgar o ato como se fosse uma manifestação exclusivamente pelas "janelas", sob à justificativa de não aglomeração durante a pandemia, mas isso não ficou claro durante a propagada do ato feita ao longo do dia.

Avalanche de críticas


Em uma publicação feita pelo "Mamãe Falei" (deputado Arthur do Val), um dos nomes de peso do MBL, em sua página no Facebook, anunciando a série de atos pelo impeachment de Bolsonaro, em vez de apoio, houve uma avalanche de críticas contra a iniciativa do Movimento.

"Prepare-se! Hoje o MBL começa sua trajetória rumo ao Impeachment de Jair Bolsonaro", escreveu Arthur na sua publicação. Milhares de comentários surgiram em resposta, mas a maioria disparada criticando o MBL. Aparentemente devido ao resultado, a publicação foi excluída, confira:


Entretanto, a publicação compartilhada por "Mamãe Falei" continuou disponível na página do MBL, inclusive com a mesma legenda, e o resultado não foi diferente: uma avalanche de críticas ao Movimento.

"É impressão minha ou a única pauta do MLB é o Bolsonaro!", questionou um internauta. "Hoje começa a trajetória rumo ao fracasso do MBL", ironizou outro seguidor, enquanto muitos apontaram a "traição" do Movimento que, em 2018, surfou na "onda Bolsonaro" para eleger muitos dos seus representantes.

Qual é a expectativa?


A tendência é que os garotos do MBL caiam na real e percebam que eles não foram os responsáveis pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, mas um país inteiro como resultado de uma indignação coletiva crescente, o que difere drasticamente do período atual.

Não estamos em 2013, 2014 ou 2016, quando o país se uniu para lutar contra a iminência de instalação de um regime autoritário socialista ao estilo venezuelano, e teve como respaldo inúmeras denúncias de corrupção, entre elas o monstruoso "Mensalão", envolvendo o Partido dos Trabalhadores.

Além de não haver qualquer denúncia de corrupção contra o governo do presidente Jair Bolsonaro, o mesmo ainda detém uma base de apoio forte, composta por pessoas reais e não militantes ligados a partidos políticos, apenas, diferentemente do próprio MBL que hoje já está diretamente vinculado ao jogo político.

A expectativa, portanto, é que o MBL veja que não possui mais o mesmo apoio popular que teve no passado, quando o Movimento foi útil para o momento. Em vez disso, verá que o apoio a Bolsonaro é real, e não artificial, e que são os valores comuns defendidos pelo presidente que verdadeiramente unem pessoas que acreditam em seu governo.

Tecnologia do Blogger.
close