Ads Top

Comunismo: Coreia do Norte ordena que cachorros sejam entregues a restaurantes


Início da matéria
Comunismo: Coreia do Norte ordena que cachorros sejam entregues a restaurantes


O regime comunista da Coreia do Norte iniciou uma campanha contra a posse de cães de estimação entre a elite de Pyongyang, animais que, se criados domesticamente, são vistos como artigos de luxo e símbolos do "capitalismo".


Segundo o jornal sul-coreano The Chosun Ilbo, a medida parece destinada a apaziguar o crescente descontentamento público em meio à terrível situação econômica, onde a falta de alimento entre os mais pobres (?) tem sido um problema grave.


De acordo com o jornal, o líder norte-coreano Kim Jong-un proibiu a posse de animais de estimação em julho, denunciando-a como "uma tendência 'contaminada' pela ideologia burguesa".


“As autoridades identificaram famílias com cães de estimação e estão forçando-os a desistir deles ou confiscando-os à força e abatendo-os”, diz a fonte local. 


A revista brasileira Exame também repercutiu a notícia: "Os animais têm sido enviados a zoológicos (que têm os cachorros entre os animais exibidos na Coreia do Norte) ou como fonte de carne em restaurantes", diz a matéria, também reportada pelo UOL.


O envio dos animais para restaurantes seria uma forma de amenizar a crise alimentícia no país, já que "um relatório recente das Nações Unidas aponta que 60% das mais de 25 milhões de pessoas que vivem na Coreia do Norte está sofrendo com falta de alimentos", destacou a Exame.


Donos de animais de estimação estão "amaldiçoando Kim Jong-un pelas costas", mas há pouco que eles possam fazer, de acordo com o jornal sul-coreano.


Os direitos dos animais estão ainda em posição inferior na agenda do regime comunista do país, comparados aos direitos humanos. 


A posse de animais de estimação por muito tempo foi considerada uma decadência ocidental, mas as atitudes parecem ter relaxado depois que o Norte sediou o Festival Mundial da Juventude e Estudantes em 1989, e a elite de Pyongyang começou a exibir cachorros de estimação caros como símbolos de status.


A fonte disse: "As pessoas comuns criam porcos e gado em suas varandas, mas funcionários de alto escalão e os ricos possuem cães de estimação, o que alimentou algum ressentimento" [entre os mais pobres]. 


Um desertor disse que essas repressões geralmente são aplicadas sem grande entusiasmo, mas parecem ser mais severas desta vez, informou o jornal.

Tecnologia do Blogger.
close