Ads Top

Quem é a "Dama de Ferro" curtida por Bolsonaro que é pré-candidata em Curitiba


Início da matéria

 Quem é a "Dama de Ferro" curtida por Bolsonaro que é pré-candidata em Curitiba



Marisa Lobo é psicóloga clínica, autora de vários livros, especialista em saúde mental e conferencista. Há anos realiza palestras dentro e fora do Brasil sobre prevenção e o enfrentamento das drogas, depressão e suicídio, sendo conhecida também pela luta contra o ativismo ideológico de gênero, aborto e desconstrução familiar.


Ela ficou conhecida nacionalmente por sua militância contra a descriminalização das drogas, especificamente a maconha, assim como contra o aborto e o ativismo LGBT, especialmente a ideologia de gênero, termo que se popularizou no país graças aos seus alertas ao longo de anos.


Por causa disso, Marisa já enfrentou inúmeras acusações de exercício ilegal da sua profissão, partindo de ativistas, principalmente pelo fato de ter se tornado conhecida como a "Psicóloga Cristã", o que virou marca registrada em peças de marketing sobre o seu trabalho como palestrante, por exemplo.


Evangélica da Igreja Batista, além de já ter participado de audiências públicas no Congresso Nacional para debater assuntos polêmicos, como a questão das drogas e da ideologia de gênero, Marisa Lobo também cruza o Brasil dando palestras sobre prevenção ao suicídio e depressão, especialmente em instituições cristãs.


Em uma das suas audiências, por exemplo, Marisa Lobo debateu sobre os efeitos psicológicos do jogo "Baleia Azul", o qual ganhou fama por induzir crianças e adolescentes ao comportamento suicida em 2017. “Vivemos a geração do menor digital abandonado. Crianças e adolescentes estão crescendo sob os cuidados da internet, sem a presença dos pais em suas vidas. Temos, nessa cultura vigente, a família como algo dispensável”, disse ela na época, segundo a Câmara.


Perseguição ideológica


Autora do livro "A Ideologia de Gênero na Educação", Marisa Lobo também foi fortemente criticada por defender o projeto Escola Sem Partido. Isso lhe rendeu uma nota de repúdio lançada pelo Conselho Federal de Psicologia (veja aqui) em 2016, acusado por ela de ter sofrido aparelhamento ideológico.


Na época, um dos profissionais que saiu em defesa de Marisa foi o professor e pesquisador Dr. Carlos Portela, o qual publicou uma nota em resposta ao Conselho Federal de Psicologia, rebatendo às acusações contra a sua colega psicóloga.


"Ora, tal ‘nota de repúdio’ não é senão uma versão invertida do macartismo norte-americano, que no caso do conselho comprova mais uma vez seu infindável desejo de ‘caça aos Cristãos’", escreveu Portela na ocasião, em artigo para o Opinião Crítica.


Em 2018, Marisa Lobo também chegou a ser condenada pela Justiça à pagar uma indenização de R$ 30.000,00 por denunciar em uma das suas palestras o que ela chamou de "aceitação social da pedofilia". Na ocasião, a psicóloga citou o trabalho de um professor universitário, que é ativista LGBT, o qual entrou com um processo contra ela.


Marisa afirmou que a sua condenação também teve motivação política, visto que ela foi candidata à deputada federal em 2018. 


"Recebo muitas ameaças, e esses processos tem o objetivo de me calar. Deixam claro que receiam que eu seja eleita deputada federal. Neste momento onde a ditadura feminista e LGBTTS, onde os apologistas das drogas e da pedofilia estão produzindo representantes para fortalecerem suas causas, ter uma deputada mulher conservadora é uma atraso para o avanço de suas agendas esquerdistas", disse ela em entrevista ao Gospel Mais na ocasião.


"Cura gay"


Outro ponto polêmico que marca a trajetória de Marisa Lobo é a chamada "cura gay". A psicóloga também foi acusada diversas vezes de supostamente tentar "curar" gays, o que já lhe rendeu processos disciplinares no Conselho Regional de Psicologia em seu estado, o Paraná.


Até o youtuber Felipe Neto fez esse tipo de acusação contra Marisa, em 2019, quando ela afirmou que ele é uma "péssima influência" para os jovens. Como resultado, a psicóloga disse que iria processá-lo, visto que ela nega ter tentado "curar" gays. Segundo a psicóloga, essa acusação foi inventada como tentativa de lhe difamar profissionalmente.


"Ressuscitou uma mentira da cura gay, é mentira, todo mundo sabe. Eu ganhei na Justiça contra o Conselho de Psicologia e está na mídia isso. Está difícil esse cara, não tem limites mesmo", comentou Marisa na ocasião, segundo o Pleno News.


Apesar das acusações e processos disciplinares já abertos contra ela no âmbito profissional, Marisa Lobo ganhou na justiça em todos os casos e mantém até o hoje o seu registro profissional, diferentemente do que alguns adversários afirmam. Ou seja, ela não está com o seu registro cassado.


Sobre a questão homossexual, Marisa Lobo já explicou que acredita na possibilidade de mudança de orientação sexual, o que não significa "cura", visto não ser a homossexualidade uma doença. Ela costuma citar exemplos de ex-gays, como o de Robson Staines, para fundamentar a sua posição.


“Esse é meu amigo de anos, Robson Staines. Ex gay, casado, quatro filhos e já é avô. Para a psicologia ele não existe, mas eu dou lugar a sua existência", disse ela, segundo o Opinião Crítica, após matéria da Folha de S. Paulo também lhe dar destaque.


"Dama de Ferro"


Por fim, por ter participado da luta contra o chamado "kit gay" junto ao então deputado Jair Bolsonaro em 2012, conforme aponta esta matéria do G1, Marisa Lobo está sendo apelidada por apoiadores como a "Dama de Ferro" de Curitiba por ser considerada uma "bolsonarista raiz".


Um levantamento recente feito a pedido da revista Veja reforçou essa opinião. Isso, porque, ele apontou que Marisa Lobo é a única pré-candidata à uma Prefeitura, neste caso a de Curitiba, curtida pelo presidente Jair Bolsonaro em uma rede social.


Apesar do presidente ter optado por não manifestar apoio explícito a qualquer candidato, apoiadores de Marisa enxergam nessa informação um claro indício de preferência de Bolsonaro para com a candidatura de Marisa em Curitiba. A própria psicóloga, aliás, comentou recentemente sobre a notícia.


"Tem gente me falando: 'São só curtidas, pra que esse barulho todo". Cara!! são curtidas do PRESIDENTE, é orgulho pra mim, que luto tanto por um Brasil CONSERVADOR debaixo de tanta perseguição há anos, é o PR. DA REPÚBLICA P...!", escreveu a psicóloga. Abaixo, segue um vídeo de Marisa ao rebater declarações do ex-deputado Jean Wyllys:


Tecnologia do Blogger.
close